Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

S. Miguel Terapias

Somos terapeutas de Reiki, sediados perto de Almada, em Corroios, trabalhando voluntariamente em horário pós-laboral ajudando quem nos procura em busca de harmonização e equilíbrio energético.

Somos terapeutas de Reiki, sediados perto de Almada, em Corroios, trabalhando voluntariamente em horário pós-laboral ajudando quem nos procura em busca de harmonização e equilíbrio energético.

S. Miguel Terapias

Se quiser ser informado quando é inserido um novo texto ou vídeo neste blog, envie o seu endereço de e.mail para smiguelterapias@gmail.pt e ser-lhe-á enviada informação do título e tipo de documento inserido.
17
Mar12

Os sete chakras

smiguelterapias

Foram descritos os sete chakras principais nos posts anteriores.

Agora vamos ilustrar os chakras e mostrar o seu posicionamento.

 

 

Chakras

 

 Coronário

 

 Frontal

 

 Laríngeo

 

 Cardíaco

 

 

 Plexo solar

 

 Umbilical

 

 Básico

 

  

 

Muladhara - Básico

 

Svaddhisthana - Umbilical

    

  

 

Manipura - Plexo solar

 

Anahata - Cardíaco

 

 

 

 

 

 

Vishudha - Laríngeo

 

Ajna - Frontal

 

 

 

Sahasrara - Coronário

11
Mar12

O que são os chakras? - Parte 3 (final)

smiguelterapias

O chakra coronário

 

Conhecido no Oriente como Sahasrara (mil pétalas). Não tem sua simbologia relacionada com nenhum elemento, mas encontra-se diretamente relacionado ao mundo transcendental. A sua vibração eletromagnética assemelha-se à da cor branca ou dourada e à da nota B (si). Este chakra conecta-nos à consciência cósmica. Está relacionado também ao cérebro e à glândula pineal.

 

Como quadro geral, podemos fazer a seguinte associação resumida:

 

Muladhara (básico). Localizado próximo ao cóccix (área do períneo). Relacionado aos órgãos sexuais, testículos, ovários, bexiga, reto, ânus, etc.

 

Svaddhisthana (umbilical). Localizado entre a sacral e a 5ª lombar (área dos órgãos sexuais). Relacionado aos rins, intestino grosso, vesícula seminal, útero, etc.

 

Manipura (plexo solar). Localizado entre a 8ª e a 12ª dorsal (área do estômago). Relacionado ao fígado, estômago, baço, duodeno, intestino delgado, pâncreas, etc.

 

Anahata (cardíaco). Localizado entre a 4ª e a 6ª dorsal (área do coração). Relacionado ao coração, pulmões, traqueia, esófago, etc.

 

Vishuddha (laríngeo). Localizado entre a 3ª e 5ª cervical (região da garganta). Relacionado à tiroide, amígdalas, glândulas salivares, ouvidos, etc.

 

Ajna (frontal). Localizado entre a 2ª e 3ª cervical (entre os olhos). Relacionado ao cérebro, hipófise, cerebelo, bulbo, etc.

 

Sahashara (coronário). Localizado entre a 1ª e 2ª cervical (região hipofisária – coroa da cabeça). Relacionado ao cérebro, pineal, etc.

 

 

Texto adaptado de "Os símbolos do Reiki e seus ensinamentos morais" de Adilson Marques


(Anteriores em Parte 1 e Parte 2)

09
Mar12

O que são os chakras? Parte 2 (continuação)

smiguelterapias

O chakra cardíaco

 

Conhecido no Oriente como Anahata (o que não soa), tem a sua simbologia relacionada ao elemento Ar. A sua vibração eletromagnética assemelha-se à da cor verde e à da nota musical F (fá). Este chakra está relacionado, sobretudo, com a harmonização e integração das nossas “sombras”. O aprendizado necessário para o harmonizar está relacionado com a resignação diante das perdas e com a vivência da compaixão. Este chakra está relacionado diretamente ao coração, aos pulmões e ao timo, glândula relacionada ao nosso sistema imunológico.

 

Quando em equilíbrio, ele gera a vontade, a alegria e a força para suportar a dor; favorece a relação amorosa com as pessoas e com o mundo circundante. A pessoa passa a viver o amor incondicional, a compaixão e torna-se altruísta. É capaz de libertar-se do pensamento dualista e dos apegos. Possibilita, também, integrar as forças inferiores dos chakras já descritos com os superiores, que veremos adiante.

 

Em integração com o plexo solar, estimula o bom funcionamento dos sistemas endócrinos, favorecendo a absorção de proteínas, sais minerais e de vitaminas pelo corpo físico; harmoniza as ondas cerebrais, favorecendo a memória. Porém, quando ambos se encontram em desequilíbrio, obscurecem a emoção, causam entorpecimento intelectual, agitação, mudança brusca de humor, enfraquecimento da memória. Podem gerar problemas nos pulmões e no coração, aumentando a tendência para osteoporose (sobretudo em mulheres) e o enfraquecimento do sistema imunológico.

 

Sentimentos e atitudes que atrapalham o bom funcionamento destes dois chakras costumam ser: o orgulho, a agressividade, o egoísmo, a ambição, o desejo de mudança pela mudança, o radicalismo político ou religioso, o fanatismo, a tendência em julgar de forma parcial ou apaixonada, a tendência ao conflito, etc.

 

Para harmonizar tais chakras, devemos buscar o autoconhecimento, evitando o excesso de instabilidade emocional. Praticar meditação ou buscar concentrar-se num objetivo de cada vez ajuda também a reequilibrá-los.

 

O chakra laríngeo

 

Conhecido no Oriente como Vishudha (limpeza), possui a sua simbologia associada ao elemento éter. A sua vibração eletromagnética assemelha-se à da cor azul e à da nota G (sol). A comunicação, a criatividade e a clariaudiência são “temas” relacionados com esse chakra. O aprendizado necessário para o seu bom funcionamento está em expressar com segurança as emoções e os pensamentos.

 

Este chakra controla o funcionamento das glândulas tiroides e paratiroides e também a garganta, os brônquios, os pulmões, a faringe e os ouvidos. Está relacionado com a nossa expressão verbal e vocal, com a comunicação e com os mecanismos da clariaudiência.

 

O chakra frontal

 

Na verdade existem dois chakras muito próximos: o frontal (na testa) e o “terceiro olho” (entre as sobrancelhas). Neste livro, por razões didáticas, trataremos como se fossem apenas um. É conhecido no Oriente como Ajna (o comando), não está associado a nenhum elemento mas à dualidade primordial. A sua vibração eletromagnética é similar à da cor índigo ou violeta e à da nota A (lá). Está relacionado diretamente à mente não racional (intuição) e à clarividência.

 

Ele favorece, diretamente, o funcionamento da glândula pituitária, da pineal, o do sistema nervoso e, de certa forma, do cérebro. Costuma ser chamado de “chakra mestre”, uma vez que dirige e controla os demais chakras e as glândulas endócrinas correspondentes. Este chakra também está relacionado aos olhos e ao nariz.

 

Equilibrado, permite a integração dos dois hemisférios cerebrais além de estimular a hipófise e o sistema endócrino.

 

Os chakras laríngeo e frontal quando equilibrados, refletem-se em alegria, em comedimento, em gestos delicados e harmoniosos, em julgamentos moderados, inteligentes e racionais. Porém, em desequilíbrio, ocasionam a queda de cabelo, o odor ocre na cabeça, boca e axilas, a agressividade e os julgamentos contundentes, a histeria, o egocentrismo intelectual, a esquizoidia, a personalidade paranoide e o abstracionismo excessivo. Podem também favorecer a fuga da realidade material, a inflamação da garganta e a sonolência.

 

Os sentimentos e valores que costumam gerar desequilíbrios nestes chakras são, essencialmente, o orgulho, a prepotência e o materialismo.

 

 

Texto adaptado de "Os símbolos do Reiki e seus ensinamentos morais" de Adilson Marques

 

(Continua em Parte 3)  (Anterior em Parte 1)

04
Mar12

O que são os chakras? - Parte 1

smiguelterapias

 

Trata-se de campos de energia localizados em nossos corpos subtis e que possuem diversas funções. Entre elas, a mais importante é a de produzir atividades psíquicas. Cada chakra possui uma vibração eletromagnética específica.

 

Cada um dos sete chakras principais funciona como uma antena recetora que capta vibrações macrocósmicas. Todas elas nos influenciam mas, de acordo com o momento existencial e cármico de cada pessoa, uma vibração ou outra poderá estar mais ativada pois um vetor se encontra mais dinamizado do que outros.

 

Os chakras quando se encontram distorcidos ou deformados adquirem, segundo os videntes, uma cor cinza que os impedem de funcionar perfeitamente, alterando profundamente a sua produção psíquica. Tais “aderências” são frutos do pensamento negativo, de sentimentos deletérios ou de atitudes doentias. É claro que se trata de uma relação recursiva. Em outras palavras, um chakra desequilibrado estimula pensamentos negativos e sentimentos inferiores e vice-versa.

 

O verdadeiro Mestre orienta e vigia o seu discípulo no processo de atualização dessa energia, enfatizando sempre a dimensão moral e a prática da caridade para que tal energia não seja mal canalizada, pois todos colhem o que semeiam.

 

Veremos, a seguir, cada um destes chakras.

 

O chakra básico

 

Conhecido no Oriente como Muladhara (alicerce), possui a sua simbologia associada ao elemento Terra. A sua vibração eletromagnética assemelha-se à da cor vermelha e à da nota musical . O seu funcionamento está relacionado aos padrões ou aos instintos de sobrevivência, tanto mental como físico ou emocional. Os medos, sobretudo o da morte, podem desregulá-lo.

 

Devido ao paradoxo vivido entre os estímulos eróticos vendidos pela mídia em geral e o puritanismo das religiões cristãs, a maioria das pessoas, no Ocidente, possui bloqueios neste chakra. Tais bloqueios refletem-se em enfermidades somatizadas na região genital ou mesmo nos pés e nas pernas. Emocionalmente, tais bloqueios podem levar também ao fanatismo religioso, manifesto quase sempre de forma violenta e raivosa, devido à frustração sexual.

 

Este chakra localiza-se na base da coluna e é responsável pela energização de todo o corpo físico. Ele controla também o funcionamento das glândulas suprarrenais. Quando o chakra básico se encontra saudável, a pessoa assemelha-se a uma árvore que possui raízes sólidas, capazes de a sustentar para que possa alcançar as esferas superiores.

 

O chakra umbilical

 

Conhecido no Oriente como Svaddhisthana (a morada), está associado simbolicamente ao elemento Água. A sua vibração eletromagnética assemelha-se à da cor laranja e à da nota musical . O seu funcionamento está relacionado diretamente com a nossa identificação com o corpo físico e com a polarização sexual. Quando em desarmonia, pode ocasionar medo, insegurança, desejo sexual irresistível. É importante salientar que o inverso também é verdadeiro: o medo pode acarretar desarmonia neste chakra.

 

Este chakra controla a energia dos órgãos sexuais e da bexiga. Quando se encontra equilibrado, a pessoa torna-se capaz de participar dos jogos sociais sem ansiedade. As suas respostas são, emocional e fisicamente, estruturadas e estáveis; longe, portanto, da histeria emocional e estabelecendo relações sociais saudáveis.

 

É impossível listar ou fazer uma relação rigorosa dos problemas que surgem com o desequilíbrio nestes dois chakras. Em cada pessoa o processo de desequilíbrio será diferente, devendo levar-se em consideração o carma e o estilo de vida adotado na atual encarnação. Sem falar que existe, como vimos acima, uma relação recursiva entre a “causa” e o “efeito”. Mas, em linhas gerais, podemos afirmar que o equilíbrio energético nesses dois chakras auxilia o corpo físico a tornar-se firme e estável e sem problemas nas articulações. Diminui a incidência de problemas de pele, tornando-a brilhante. Favorece a longevidade, a constância e a segurança, como também a persistência e a resignação.

 

Em desequilíbrio (excesso ou falta de energia), podem ocasionar problemas psicossomáticos diversos, tais como:

 

- Avidez e descontrole sexual,

- Masculinização da mulher,

- Dificuldades de raciocínio,

- Sexo sem afetividade,

- Depressão,

- Somatização de doenças ligadas aos ovários, próstata, intestinos, rins, bexiga, pernas,

- Indigestão,

- Perda da memória,

- Diminuição da sensibilidade corporal.

 

Normalmente, os pensamentos, sentimentos e atitudes que colaboram para o desequilíbrio nesses dois chakras são, entre outros:

 

- A tendência a guardar mágoas e ódios,

- A dificuldade ou medo de tomar decisões ou executar tarefas,

- Fugir dos compromissos,

- A dificuldade em aceitar mudanças, sobretudo de ordem moral,

- O conservadorismo religioso,

- O pavor de novidades (defesa intransigente de “purezas” doutrinárias ou ideológicas) que levam ao fanatismo,

- A teimosia,

- A possessividade,

- O Ciúme, etc.

O Plexo Solar

 

Conhecido no Oriente como Manipura (o centro). Está associado simbolicamente ao elemento Fogo. A sua vibração eletromagnética assemelha-se à da cor amarela e à da nota musical mi. Este chakra sofre as consequências das emoções mais poderosas tais como a raiva, a frustração, a preocupação, a excitação, etc. O reequilíbrio deste chakra passa, necessariamente, pela aprendizagem espiritual, ou seja, pela aquisição do sentido de responsabilidade e pelo aperfeiçoamento moral.

 

Este chakra está relacionado diretamente ao funcionamento do pâncreas, do fígado, do estômago, do intestino grosso, do diafragma e de parte do intestino delgado. O coração também pode ser afetado por este chakra.

 

Ele é considerado o centro porque é o locus de compensação energética, uma vez que boa parte da energia (prâna) proveniente dos chakras inferiores passa por ele antes de atingir os superiores e vice-versa. Ao energizar este chakra, todo o corpo costuma ser fortalecido. Vários exercícios de meditação em movimento que aprendemos com a espiritualidade terminam com o praticante impondo as mãos sobre este chakra.

 

Quando em equilíbrio, ele permite dirigir o ego com firmeza e gentileza.

 

Desequilibrado, pode gerar o intelectualismo estéril, postura crítica, punitiva e vingativa, etc.

 

 

Texto adaptado de "Os símbolos do Reiki e seus ensinamentos morais" de Adilson Marques

 

(Continua em Parte 2)

 

12
Fev12

Os cinco princípios de Reiki de Mikao Usui

smiguelterapias


 

Kyo dake wa (só por hoje)

Okoru na (evite zangar-se)

Shinpai suna (evite preocupar-se)

Kansha shte (seja grato)

Gyo-o hage me (trabalhe com dedicação)

Shto ni shinsetsu ni (seja gentil com todos os seres)

 

Okoru na , Kansha shte Shto ni shinsetsu ni
também se pronunciam Ikaru na , Kansha shite, Hito ni shinsetsu ni

 

Para ouvir a pronúncia em japonês

 

  


04
Fev12

Auto-tratamento de Reiki

smiguelterapias

Estes exercícios devem ser feitos diariamente demorando, se possível, um mínimo de 2 minutos em cada posição.

 

Nota: Respondemos nesta nota a uma pergunta feita num comentário porque nos parece útil partilhar aqui a nossa opinião. É sempre útil, e necessário em nosso entender, iniciar um exercício ou um tratamento de Reikii com um exercício de respiração e uma sintonização. 

 

26
Jan12

Glândula pineal. O que é? Para que serve?

smiguelterapias

A epífise neural, glândula pineal ou simplesmente pineal é uma pequena glândula endócrina localizada perto do centro do cérebro, entre os dois hemisférios, acima do aqueduto de Sylvius e abaixo do bordelete do corpo caloso, na parte anterior e superior dos tubérculos quadrigémeos e na parte posterior do ventrículo médio. Está presa por diversos pedúnculos. Apesar das funções desta glândula serem muito discutidas, parece não haver dúvidas quanto ao importante papel que ela exerce na regulação dos chamados ciclos circadianos,que são os ciclos vitais (principalmente o sono) e no controle das atividades sexuais e de reprodução.

 

 

 

A glândula pineal tem sido considerada - desde René Descartes (século XVII), que afirmava que nela se situava a alma humana - um órgão com funções transcendentes. Além de Descartes, um escritor inglês com o pseudónimo de Lobsang Rampa, entre outros, dedicaram-se ao estudo deste órgão.

 

Com a forma de pinha (ou de grão), é considerada por estas correntes religioso-filosóficas como um terceiro olho devido à sua semelhança estrutural com o órgão visual. Localizada no centro geográfico do cérebro, seria um órgão atrofiado em mutação com relação em nossos ancestrais.

 

Os defensores destas capacidades transcendentais deste órgão consideram-no como uma antena. A glândula pineal tem na sua constituição cristais de apatita. Segundo esta teoria, estes cristais vibram conforme as ondas eletromagnéticas que captassem, o que explicaria a regulação do ciclo menstrual conforme as fases da lua ou a orientação de uma andorinha em suas migrações. No ser humano seria capaz de interagir com outras áreas do cérebro como o córtex cerebral, por exemplo, que seria capaz de descodificar essas informações. Já nos outros animais, essa interação seria menos desenvolvida. Esta teoria pretende explicar fenómenos paranormais como a clarividência, a telepatia e a mediunidade.

 

A Doutrina Espírita dedica-se à formulação destas explicações desde Allan Kardec (século XIX). Na obra Espírita Missionários da Luz, ditada pelo espírito de André Luiz, através da psicografia do médium Francisco Cândido Xavier, a epífise é descrita como a glândula da vida espiritual e mental que caracteriza um órgão de elevada expressão no corpo etéreo onde presidem os fenómenos nervosos da emotividade, devido a sua ascendência sobre todo o sistema endócrino, e desempenha papel fundamental no campo sexual. No terreno concreto, tal função é apontada desde 1958 e, atualmente passou a ser amplamente aceita em terreno concreto.

 

André Luiz descreve ainda que a epífise está ligada à mente espiritual através de princípios eletromagnéticos do campo vital, fato que a ciência formal ainda não pode identificar, comandando as forças subconscientes sob a determinação direta da vontade. O psiquiatra brasileiro Dr. Sérgio Felipe de Oliveira, neurocientista, defende em pesquisas que a glândula pineal seria o órgão sensor que capta as informações por ondas eletromagnéticas devido as propriedades dos cristais de apatita, que as converteriam em estímulos neuroquímicos de forma análoga à antena do aparelho celular para sinais eletrónicos .

 

Já na visão dos hindus, é o principal órgão do corpo, possuidor de dois chacras ou centros de energia responsáveis pelo desenvolvimento extra-físico, como receptores e transmissores de energia vital: o chacra do terceiro olho, central na testa, acima da altura dos olhos e o chacra coronário, mais superior, também na cabeça.

 

http://pt.wikipedia.org/wiki/Gl%C3%A2ndula_pineal

 

 

Vídeos sobre a Glândula Pineal


Apresentação do Dr. Sérgio Felipe de Oliveira, neuropsiquiatra brasileiro, mestrado em Ciências pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e diretor da Clínica Pineal Mind de São Paulo.

 

http://www.youtube.com/watch?v=4walu-hO9fQ   Parte 1 de 7

http://www.youtube.com/watch?NR=1&feature=endscreen&v=bnLUOfFaEFE   Parte 2 de 7

 

Glândula Pineal pelo Dr. Sérgio Felipe de Oliveira (parte 3 de 7)

  

http://www.youtube.com/watch?v=BRY41_pvIxI&feature=related   Parte 3 de 7 (acima inserida)

http://www.youtube.com/watch?feature=endscreen&NR=1&v=3Gl6unmMbz8   Parte 4 de 7

http://www.youtube.com/watch?v=HpZoni-LQic&feature=endscreen&NR=1   Parte 5 de 7

http://www.youtube.com/watch?v=HTgiJjBumD4&feature=related   Parte 6 de 7

http://www.youtube.com/watch?v=r7HGTdp7tsM&feature=related   Parte 7 de 7

20
Jan12

Efeitos de terapias alternativas

smiguelterapias

Pesquisadores avaliam efeitos e mecanismo de terapias alternativas em animais de laboratório

por Bruna Bernacchio

 

[... ...]

 

Reiki

 

Seus praticantes acreditam nos efeitos benéficos da energia das mãos do terapeuta colocadas sobre o corpo do paciente contra doenças. Para entender as alterações biológicas do reiki, o psicobiólogo Ricardo Monezi testou o tratamento em camundongos com câncer. “O animal não tem elaboração psicológica, fé, crenças e a empatia pelo tratador. A partir da experimentação com eles, procuramos isolar o efeito placebo”, diz. Para a sua pesquisa na USP, Monezi escolheu o reiki entre todas as práticas de imposição de mãos por tratar-se da única sem conotação religiosa.

No experimento, a equipe de pesquisadores dividiu 60 camundongos com tumores em três grupos. O grupo controle não recebeu nenhum
tipo de tratamento; o grupo “controle-luva” recebeu imposição com um par de luvas preso a cabos de madeira; e o grupo “impostação” teve o tratamento tradicional sempre pelas mãos da mesma pessoa.

 

Imposição de mãos nos grupos "Controle-Luva" e "Impostação", respectivamente (imagens retiradas do mestrado de Monezi)

 

Depois de sacrificados, os animais foram avaliados quanto a sua resposta imunológica, ou seja, a capacidade do organismo de destruir tumores. Os resultados mostraram que, nos animais do grupo “impostação”, os glóbulos brancos e células imunológicas tinham dobrado sua capacidade de reconhecer e destruir as células cancerígenas. “Não sabemos ainda distinguir se a energia que o reiki trabalha é magnética, elétrica ou eletromagnética. Os artigos descrevem- na como ‘energia sutil’, de natureza não esclarecida pela física atual”, diz Monezi. Segundo ele, essa energia produz ondas físicas, que liberam alguns hormônios capazes de ativar as células de defesa do corpo. A conclusão do estudo foi que, como não houve diferenças significativas nos os grupos que não receberam o reiki, as alterações fisiológicas do grupo que passou pelo tratamento não são decorrentes de efeito placebo.

A equipe de Monezi começou agora a analisar os efeitos do reiki em seres humanos. O estudo ainda não está completo, mas o psicobiólogo adianta que o primeiro grupo de 16 pessoas, apresenta resultados positivos. “Os resultados sugerem uma melhoria, por exemplo, na qualidade de vida e diminuição de sintomas de ansiedade e depressão”. O trabalho faz parte de sua tese de doutorado pela Universidade Federal do Estado de São Paulo (Unifesp).

E esses não são os únicos trabalhos desenvolvidos com as terapias complementares no Brasil. A psicobióloga Elisa Harumi, avalia o efeito do reiki em pacientes que passaram por quimioterapia; a doutora em acupuntura Flávia Freire constatou melhora de até 60% em pacientes com apnéia do sono tratados com as agulhas, ambas pela Unifesp. A quantidade pesquisas recentes sobre o assunto mostra que a ciência está cada vez mais interessada no mecanismo e efeitos das terapias alternativas.

 

http://www.sintonizacaoreiki.org/


18
Jan12

O Reiki nos hospitais portugueses - reportagem RTP

smiguelterapias

A OMS – Organização Mundial de Saúde criou a Medicina Alternativa Internacional pelo Decreto "Alma Ata" e estabeleceu em 1962 a "The Open International University For Complementary Medicines", envolvendo diversos segmentos tradicionais das medicinas não convencionais. No entanto, a prática reiki, à semelhança de muitas outras práticas tradicionais não é expressamente citada. O seu reconhecimento oficial depende das autoridades de saúde de cada país.

Em Portugal, o Reiki é aceite no Hospital de S. João no Porto, nos Hospitais Universitários de Coimbra, Hospital Garcia de Horta em Almada e Instituto Português de Oncologia em Lisboa
.
.
Reportagem RTP no Hospital de S. João no Porto

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D